random thoughts for november '16

Random Thoughts 22.11.16
True perfection has to be imperfect

Engraçado como as coisas se encaixam no grande espectro da vida.

Domingo, noite, festa surpresa de um amigo. Pediram-me para colocar alguma música para tocar e só consegui pensar naquela performance de uma das bandas incríveis que passei a gostar desde o ano passado e a admirar após ter visto as últimas duas músicas daquela mesma performance na TV ao vivo. Catártica, definiria um deles.

Terça-feira, começo de tarde, em meio à coisas desinteressantes em uma rede social. Um vídeo de uma das músicas que nem ao menos está entre as minhas preferidas em algum estúdio. Fui impactada mais uma vez pela forma honesta com que mãos tremiam e letras cruelmente honestas eram cantadas entre alguns berros. Segui vendo os vídeos que se seguiram deste e, de alguma forma, me encontrei com uma das poucas conversas no mundo jornalístico que quase fez renascer em mim aquela vontade adolescente de fazer parte deste mundo.

Outro dia, assisti Before Sunrise e os outros dois filmes dessa série. Desde então, o incômodo da dificuldade em encontrar conexões reais neste mundo permanesce em mim. Principalmente aquelas com pessoas reais, com cérebros pensantes que vão além das obviedades e convenções da vida, que vão além das mentiras que criamos para viver socialmente e das verdades difíceis que não temos coragem para dizer.


Conversei sobre isso com uma única pessoa, alguém com quem me sinto apenas um pouco menos desconfortável para dizer o que penso e formular certas teorias, mas não foi o suficiente. As respostas foram simplistas demais pra solucionar a grandeza das questões sufocando minha mente. Larguei de mão. 

Forcei-me a esquecer o sufocamento, voltei à superfície na qual descansamos para evitar que as perguntas sem respostas nos enlouqueçam. Sometimes to stay alive, you gotta kill your mind, ele diria. Tudo isso, entretanto, veio à tona com a conversa que acabei de ver. Colocar-se à frente de alguém e debater todas as questões que nos perseguem e realmente ter um diálogo sobre isso não deveria ser tão surpreendente, mas é.

Por alguns minutos incríveis vi como as angústias e teorias que criamos se relacionam no lugar distorcido das ideias, como todos nós lidamos com monstros parecidos e como seria mais fácil expor nossos medos e sufocamentos com pessoas com o poder de contribuir, de expor suas próprias feridas e mostrar que não estamos sozinhos. Ou apenas pessoas com o poder de escutar, de verdade. Pessoas que com uma única lembrança de uma letra de música claramente iluminam todo o tormento que sentimos por dentro.

Quão estranho é considerar raro o ato de ser tão humano;
Quão difícil é o sê-lo.





random thoughts for october '16

Random Thoughts 25.10.16

i took a bus to your town.
not to see you. in the end, you were all i thought about.

i took a long walk around your big city with my friends.
it overwhelmed me a little. i should've been happy to be with them but i wasn't.
i ain't.

i took a bus back home.
the pain in my chest grew as i made my way back down south.
the songs on my playlist didn't help much, neither did you.

i'm not much for walking, but yesterday i did it until it hurt.
self-inflicted pain is all i know about getting over a broken heart.

i sat down on a bench right in front of the sea.
the pain of holding onto you overflowing my eyes.
your silence pressing down my chest 'til i could barely breathe.
the open-end of the story that never really began cutting into my old battle wounds.

i took a bus to work and there i wiped my tears away.
at least i learnt the concept of "faking it" earlier in life,
though i've been faking it since you walked away and i'm still nowhere near "making" anything.

you fucked up my heart.
the only guy i trusted not to.
 and i've been stuck in the same place since you did it.
 the worst is that after all your mixed up signals, i'm not even sure why.

-

"you left me here by the sea,
now all i wish i could see is you and me"

mixtape | books in bed

Dear Diary 6.10.16
Que a vida é muito louca, a gente bem sabe, mas de tempos em tempos fica difícil colocar tudo em ordem até que aquela mensagem que você ficou de mandar uma semana depois, já levou um mês; o post que você queria fazer, já nem lembra e os planos pra tantas outras coisas ficam esquecidos no meio dessa loucura toda. 

Aquela ~bad vibes~ chegou chegando em setembro. Veio crise existencial, veio tretas no trabalho, veio desânimo monstro e me senti como aqueles personagens de histórias em quadrinhos, andando com uma nuvem em cima da cabeça, mas, assim como tudo, passou. Principalmente depois de ler dois posts queridos no blog da Jeh, um sobre como sair desses (meses) dias de desânimo (mudei todos os meus móveis de lugar e foi incrível, recomendo) e outro sobre mim haha porque quem não gosta de receber uma carta cheia de amor da melhor amiga, né?! A parte boa é que quando a gente se organiza mental e físicamente parece que tudo entra no lugar.

Além disso, passei acompanhar alguns blogs (coffee+flowers / apto 401) que me inspiram demais e que falam de coisas que eu gosto muito como ♡ café , fotografia, viagens e do dia-a-dia mesmo. Cresci com o falecido weblogger lá em meados de 2003/04, quando blog era realmente nosso diário virtual, só que cheio de gif piscante e com glitter da Hilary Duff, então ler blogs mais ~profissionais~ com resenha até de escova de dentes me dá um pouco de preguiça. MAS NÉ, temos uma infinidade de blogs incríveis ai pra conhecer, então minha meta é ler pelo menos um post que me inspire um pouco todo dia!

Fora os blogs, esse ano tem sido o ano em que eu mais consegui ficar em dia com a minha meta no Goodreads de ler 25 livros no ano #foco #fé #força. No momento, já passei da marca de 17 livros lidos e tô só 2 livros atrasada porque resolvi ler War & Peace do Tolstoy e, né, aquilo é uma pequena bíblia de mais de 900 páginas, então vamos ver se um dia termino amém.

Daí é claro que já fiz uma playlist esperta com as minhas músicas para ler antes de dormir, porque meu objetivo na vida é ser contratada pelo Spotify, óbvio hahaha.

Vocês podem ouvir a playlist ♫ books in bed aqui:



Queria ter colocado mais umas dez músicas do Fleetwood Mac, mas aí viraria uma playlist só deles né hahaha vão amar FM também pfvr!!!

Quem gostar manda um uhul nos comentários!
Beijos :)

random thoughts for september '16

Random Thoughts 29.9.16

lostmyhead


Certos ciclos retomam de tempos em tempos sua tragetória. Estamos de volta ao não saber, a dúvida constante que outrora fora esquecida, mas que agora tornou a dominar minha mente. O que fazer? Para onde seguir? Qual o rumo? Difícil não ter norte, não ter ponto de chegada. Assustador, inclusive. Cansei desses ciclos, cansei da rotina, de voltar sempre para o mesmo lugar (psicológico ou não), quero mudar. Tenho uma lista pronta de tudo que me incomoda, só não sei qual passo dar para mudar. Fora o medo de sair do lugar e ver o que está além de mim. 

Parecia mais fácil quando em minha inocência tudo parecia ter sua ordem, seu lugar, sua razão. Agora vejo a tela em branco. Deveria ser excitante me encontrar com o desconhecido, mas nunca fui boa em tomar decisões, prefiria mesmo repetir o sabor do sorvete todas as vezes à escolher um novo que talvez não fosse do meu gosto. 

A velha história de querer evitar a todo custo o fracasso.